Iluminação Hospitalar

Iluminação Hospitalar

Existem vários tipos de iluminações diferentes com exigências específicas. E através desse leque de opções cria-se cada vez mais possibilidades e recursos para iluminar um ambiente. A iluminação hospitalar é um desses tipos e tem suas singularidades.

A boa execução advém de um bom projeto, e no caso da Iluminação Hospitalar é exatamente na etapa projetual que se tem a visão das necessidades e configurações que um ambiente desse tipo deve ter. Atentar-se para arandelas que não aparam poeira, luminárias que não geram ofuscamento para os pacientes são exemplos do que um projeto deve atender para que os usuários sintam-se confortáveis, visto que ao estar em um hospital lida-se com pessoas com um nível de estresse e fragilidade alta.

Os projetistas dos espaços de permanência dos pacientes, devem levar em conta os requisitos visuais de seus dois grupos principais de usuários: o apoio, aqueles responsáveis por viabilizar a execução de procedimentos médicos, e os pacientes, que devem ter garantias de boas condições de conforto visual.

Além do compromisso de iluminar as tarefas visuais e outras atividades, os sistemas de iluminação também tem responsabilidade de criação de ambiência. Influenciando as respostas emocionais dos usuários. Isso é particularmente importante nos hospitais. Muitos dos efeitos da luz influenciam biológica e psicologicamente o indivíduo.

O layout, tipo de ambiente e a funcionalidade devem ser considerados. O campo de trabalho deve ter luz adequada às necessidades do usuário. Quando as superfícies têm cores saturadas, a iluminação com intensidade baixa é inadequada, porque pode causar desconforto, além de ser antieconômico.

São muitas as singularidades dos projetos Hospitalares e o olhar projetual, bem como o domínio das normas e matérias (luminárias e lâmpadas etc.), são fundamentais para o desenvolvimento de um bom projeto.

 

voltar para postagens

deixe um comentário